segunda-feira, 17 de maio de 2010

Magro de ruim

Descobriram um asceta de 83 anos lá na Índia que disse ter passado os últimos setenta anos sem ingerir alimentos ou líquidos. Os cientistas o submeteram a duas semanas de rigorosa vigilância e constataram que o mais próximo que ele chegou da água foi para se lavar e fazer gargarejos. Comer e beber, nada. Em contrapartida, como não houve entrada de alimentos e líquidos, não houve saída, se me entendem.
Os cientistas acreditam que, se não tira sua energia dos alimentos e da água, deve extraí-la de outras fontes, e o sol é uma delas. Minha filha Mayara brincou que ele deve fazer a fotossíntese, como as plantas. Mas nós sabemos que mesmo as plantas não sobrevivem sem a água e seus sais minerais.
Nosso iogue octogenário prefere atribuir sua dieta autossustentável ao fato de ter sido abençoado por uma deusa, aos oito anos de idade. Por isso, ou por outro motivo qualquer, não deixa de ser uma característica espantosa a desse hindu.
E eu, de minha parte, acho mais espantoso ainda é que, mesmo tendo ficado setenta anos sem comer ou beber, ele não seja nem um pouquinho mais magro do que este macérrimo jornalista que escreve estas mal traçadas linhas e que se alimenta todos os dias – três vezes ao dia, fora os beliscos – há 54 anos ininterruptos.
Ou seja: comida não tem nada a ver com gordura.
Ou: tem gente que é magro de ruim.

Outra coisa espantosa: um padre ficou durante dois anos rezando missas, pregando homilias maravilhosas, ouvindo confissões constrangedoras e celebrando casamentos e batizados numa paróquia do Morumbi, em São Paulo, até descobrirem que ele não era padre...
Dois anos... e a Igreja sequer comentou como foi enganada esse tempo todo.
Uma perguntinha simples: basta chegar e se declarar sacerdote? Não pedem registro profissional, carteirinha, diploma, currículo, essas coisas? Carta de recomendação, nomeação, teste de conhecimentos, aptidão? É só chegar e assumir?
Outra perguntinha: como é que a Igreja pode ter controle sobre as perversões dentro de suas hostes, combater a pedofilia e os folguedos de sacristia em seu seio, se não tem controle nem sobre a composição de sua estrutura funcional?
Não há de ser impossível, qualquer dia desses, alguém denunciar o assédio sexual por parte de um membro do clero e receber, como resposta, a informação de que, “consultados nossos registros, constatamos que o indivíduo denunciado não pertence aos quadros da empresa".

17 comentários:

bob disse...

Zanfra!

O padre da paróquia do meu bairro era um "santo" perfeito....décadas depois, soubemos que ele tinha 05 (cinco) filhos com uma das maiores beata da comunidade dai? e ele era padre sim...

gabizinhaaa disse...

Oi Zanfra.

Com relação ao Hindu, qualquer semelhança com o blogueiro é mera coincidência. Acho que os dois são magros de ruim.
Se disserem que a igreja onde esse falso padre ficou pregando durante dois anos é uma zona eu discordo. Acho que nem na zona uma funcionária passaria despercebida durante tanto tempo.

Vico disse...

Fico pensando no lado prático da história do iogue. Vocês já pensaram na possibilidade de dez por cento da Humanidade passarem a se "alimentar" como ele? A ameaça de escassez de alimentos ficaria muito mais distante. Por isso, vamos começar a campanha para nomear o velhinho indiano como secretário-geral da ONU.

cilmar machado disse...

Essa do hindu, não é possível. Aí tem!...
Que santa deusa é essa que lhe concedeu tão grande graça? Luto para vencer meus quilinhos a mais desde os meus 35 anos e já se vão várias décadas...
Quanto ao falso padre, não é de se admirar. Aqui, em Lins, houve um falso médico ortopedista que fez estripulias, chegando a aleijar pessoas com suas desastradas intervenções cirúrgicas. O cara foi desmascarado, preso e aguarda julgamento. A exemplo da Igreja, a Santa Casa não investigou a procedência do falso diploma que apresentou. Portanto o descuido não se verifica somente na Igreja e sim, em todos os lugares. Agora a pergunta: já imaginou se o falso médico de Lins fosse urologista?...

Fabiano Marques disse...

Lá em casa já baixei a regra. Comida e bebida, agora, só quando o Cometa Halley passar de novo por aqui.
Esse hindu deveria ser o garoto propaganda do Fome Zero, digo, o velho propaganda.
Falando em Fome Zero e política e tale coisa...
Sobre o falso padre: se na política não precisa de credencial, pra rezar uma missa então......nem se fala.
Aquele folhetim dominical O Domingo é um manual ideal. O cara pega, lê a carta de São Paulo, a de Coríntios, fala de Santos, é igual futebol, todo mundo sabe um pouco.
Até eu.

Anônimo disse...

Prezado Zanfra
O caso do hindu é intrigante.Uma coisa é certa: ele não deve trabalhar há muito tempo e deve ficar na posição de iogue o tempo todo.Mesmo assim...tenho lá minhas dúvidas. O seu caso ,específicamente,pode ser de ruindade sim...rsrsrs...mas também só o conheço através deste blog.
Quanto ao padre...ao médico, citado por seu leitor...aí a coisa fica mais palpável. Na casa de mãe Joana (falo do país como um todo), é mais fácil enganar com documentos falsos do que provar com documentos autênticos...penso,né,acho que é por aí.
bjussssssssssss
sonia carotta

Anônimo disse...

Caro Zanfra.

Eu acho que esse Hindu é um 171. Não consigo ficar mais de 3 horas sem comer ou beber e o cara diz que não come ou bebe há 70 anos. Olha, por mais que eu me esforce não consigo imaginar esse cara comendo vento e ficando em pé (ou sentado). É "grupo" dele, sem condições de acreditar.
Quanto ao Padre, passar dois anos sem ser notado. É descontrole total. Imagina o que acontece sem que a população tome conhecimento.

Um forte abraço.

Marco Antonio Zanfra disse...

Detalhe, nesse caso do padre, é que um fiel da igreja do Morumbi desconfiou e pediu que os "superiores hierárquicos" do homem o investigassem. A Igreja, propriamente dita, estaria chupando o dedo até hoje!

Quem chegar por último é a mulher do padre! disse...

Se não for pedófilo,já é uma grande coisa.Caso contrário,molecada,tratem de correr e chegarem todos juntos e empatados.

La garantia soi jo! disse...

E o pior é quando você chega precisando de pronto atendimento médico,e o sotaque paraguaio-boliviano,lhe deixa em estado de atenção.

Serafim disse...

CARO ZANFRA

Esse hindu é meio Mandrake.Se ainda fosse brasileiro vá lá.
Quanto ao padre,já virou rotina pois toda semana tem uma.Na verdade é a bola da vez.

Abraços

Kafka disse...

Quem comete o pecado maior: o padre que é padre e comete essas bandalheiras que nós estamos acompanhando pelos jornais, ou o falso padre que, segundo li, era um exemplo de comportamento, sabedoria e bondade?

Kafka 2 disse...

Outra coisa: deve ser preocupante ser tão magro quanto alguém que não se alimenta há 70 anos... Mas enquanto teus ossos estão te mantendo em pé, vai levando, cara!

Gennara Vitti disse...

Quisera eu ter a capacidade de comer três vezes ao dia, fora os beliscos... Tenho só duas refeições, e mesmo assim na regulagem. Beliscos, nem pensar! E olhe que meu peso está assim-assim com o transbordamento, eheheh.

Gleydson disse...

Impressionante esse velhinho, hein? Não você, viu Zanfra! Rererererere...

Isso me fez lembrar de um "causo" do fim dos anos 90 de um sujeito que se denominava conhecedor máximo de uma doutrina que se não me engano se chamava "teosofia"... O cara deu entrevista no Jô Soares e tal; o detalhe que lembro a esse respeito é que o gajo só comia um amendoim por dia.

Passado algum tempo, baixou um outro sujeito no Jô desmentindo o "guru". Detalhe é que já o tinha flagrado em uma churrascaria lambendo os beiços. Rererererere...

Outro detalhe: claro que o Jô Soares não admitiu que tinha sido enganado. Eu fui! :-P

Abraços!

P.S.: o cara era bem magro também! :-)))

Marco Antonio Zanfra disse...

Um amendoim por dia? Nosso amigo, o velhinho impressionante - não eu, o outro - deve considerar isso como intoxicação alimentar por excesso de proteínas.

Ricardo Câmara disse...

Prezado Zanfra;
Isso é o que se chama de repercussão!Esse esquálido cidadão pretende ou pretendia de qualquer forma divulgar a sua "doutrina iluminada", ou seja,propagar a sua religião para o mundo sob a anuência do diretor do hospital ( da mesma ramificação filosófica ) onde o faqui se encontra internado. Chamar a atenção das pessoas no mundo vale tudo, e por isso,sob a luz do cosmo, provando que não se alimenta das coisas desse planeta chamado Terra, aquele arcabouço humano(?), idoso,logicamente, pretendia disseminar a sua aceita e conquistar vários adeptos. Dúvido que abaixo do travesseiro de sua cama ou em outro lugar bem escondido, não tenha um bife suculento e um pedaço de pão. Durma-se com um barulho desse! Eu não acredito. Quando um indivíduo sente fome, os seus instintos impelem à procura de alimento.Já o "Padre", uma coisa tenhnam certeza:"...alguém pode enganar poucos por muito tempo, muitos por pouco tempo, mas não todos por todo o tempo.."
Abraham Lincoln. E na própria Bíblia, Matheus ressalta:
"Pois não há nada de escondido que não venha a ser revelado, e não existe nada de oculto que não venha a ser conhecido". (Mt10;26).