segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Caiu na rede é truta


Leio na “Folha Online” que 479.712 declarações do imposto de renda foram parar na malha fina este ano, contra 746.035 no ano passado. Segundo o jornal, o número em 2007 é 35,70% menor do que em 2006. E é com isso que eu não me conformo: por que é que, justamente quando cai tanto o número dos “sonegadores em potencial”, a Receita resolve querer que este pobre assalariado dê conta de suas contas? Eles não poderiam conformar-se em ter apenas 479.711 contribuintes na lista dos candidatos a freqüentar o purgatório da Fazenda?
Juro: é a primeira vez que tenho uma declaração de imposto de renda esmiuçada pelos auditores. Juro mais uma vez: e a culpa nem é minha. Se eu declaro a retenção na fonte do imposto decorrente de uma ação trabalhista e a empresa que paga a ação não deposita o imposto retido, de quem é a culpa pela falsidade de minha declaração?
E olha que eu ainda tentei me garantir: sem ter em mãos o DARF da retenção, telefonei para a Receita antes de fazer a declaração e fui aconselhado a declarar o valor que estava na planilha do processo, para não correr o risco de estourar o prazo de entrega. Depois, quando tivesse o comprovante em mãos, mandava lá uma declaração retificadora e tudo bem.
Foi o que fiz: entreguei a declaração no dia 24 de abril; no dia 3 de maio, recebi cópia do recibo de depósito e encaminhei a retificadora. Missão cumprida.
Só que tinha um detalhe: eu declarei que o imposto tinha sido retirado em 2006 – como ficara acertado na sentença – mas a empresa só pagou em 2007. Portanto, na visão alfa-numérica do sistema, minha declaração não conferia com a verdade. Portanto, malha fina nele, que é para aprender a não tentar burlar o felino vigilante que, mesmo parecendo meio fora da mídia, continua sendo o símbolo assustador que ronda os contribuintes na época de prestar contas ao Fisco.
Hoje, nesta época em que está sendo pago o último dos lotes de restituição, estou aqui lambendo os dedos e esperando que comecem a ser pagos os lotes residuais. Tenho esperança de ser um dos primeiros, porque, embora o jornal afirme que a Receita tem até cinco anos para convocar as vítimas da malha fina a prestar contas, aproveitei os primeiros dias de dezembro e já fui lá entregar os documentos que comprovam minha boa fé.
Se não acreditarem em mim, espero pelo menos que minha boa vontade tenha alguma influência na hora de o juiz pesar as agravantes e atenuante para dosar a sentença.

3 comentários:

betinhohirtz disse...

Sonegador eh ?

Anônimo disse...

Caro Zanfra, depois que os caras ficam com a grana da gente é muito difícil que devolvam. Sinto dizer-lhe que é melhor vocês esperar sentado.

abs
josé luiz

Bonassoli disse...

Zanfra, pára de reclamar e paga o Leão. :)

E, na real, lá no blog eu me enganei, não são os paulistas, mas os paulistanos, que se amarram num shopping. :))

Feliz Natal e ótimo 2008, irmão.