segunda-feira, 15 de setembro de 2008

A virgem, as gengivas e o garotinho com pancake


1 - Sem pretender colocar em discussão posições chauvinistas e seus eventuais contrapontos, tenho uma pergunta simples: algum homem pagaria, hoje em dia, um milhão de dólares para ter o discutível privilégio de comprar o discutível direito de protagonizar o discutível defloramento de uma virgem?
É claro que cada um pode fazer o que bem entender com seu dinheiro, mas todo o resto é discutível. A começar pela questão crucial: o fetiche da primeira vez sobrevive nos dias atuais, quase ao final da primeira década do século 21? Outra: ainda é possível encontrar virgens no sentido literal do termo, mesmo depois que as clausuras, as torres dos castelos e todos os dragões vigilantes foram extintos? Caso a primeira resposta seja positiva e a segunda, negativa, o fetiche todo concentrar-se-ia num detalhe meramente anatômico?
Pois tem gente apostando nisso. Uma estudante californiana de 22 anos (foto) espera vender sua pureza por algo tem torno de US$ 1 milhão, como forma de custear os estudos. Aberta a ofertas – sem trocadilho – o leilão de sua virgindade vai acontecer emblematicamente num bordel em Nevada, onde, mais emblematicamente ainda, a irmã da moça trabalha para pagar as dívidas da faculdade.
“Vivemos numa sociedade capitalista. Por que eu não posso ganhar com a minha virgindade?”, perguntou a estudante. Claro. Ninguém pode negar-lhe o direito de preservar o que é seu e entregar a quem merecer sua escolha. Só que, quando a escolha envolve dinheiro, ou melhor oferta, esse tipo de transação costuma receber um nome meio pesadão.

2 – Você sabia que problemas gengivais podem estar ligados a doenças cardíacas?
Cientistas da Universidade de Bristol, no Reino Unido, descobriram que as bactérias que causam infecções nas gengivas interagem com as plaquetas do fluxo sangüíneo e podem contribuir para a formação de coágulos.
Nesse caso, o indivíduo pode apresentar uma excelente saúde, ter boa forma física e estar no peso ideal, mas, se não cuidar direito de uma gengitive, pode acabar sofrendo um infarto fulminante.
Com essa descoberta dos cientistas britânicos, antevejo duas rápidas conseqüências no modo de vida da Humanidade: a proliferação dos consultórios especializados em odontocardiologia, ou cardioperiodontia, e o surgimento dos enxaguantes bucais que combatem o mau hálito, a placa bacteriana e a coagulopatia intravascular.

3 – O “garotinho com pancake” na verdade tem 30 anos, mas viveu durante longos quatro anos fazendo-se passar por garoto. Nesse período, de 2003 a 2007, ele falou com voz fina, depilou-se, meteu um boné na cabeça e pancake no rosto e conseguiu enganar professores, funcionários e alunos de escolas primárias dos Estados de Oklahoma e Arizona, nos Estados Unidos, fazendo-se passar por Casey, um pré-adolescente de 12 anos, e abusando da molecada por lá.
Agora, a brincadeira acabou: desmascarado, o ex-garotinho foi condenado a 70 anos de prisão por pedofilia, fraude, assalto e por guardar material pornográfico envolvendo crianças. E nem foi preciso baixar a maioridade penal para isso.
Difícil é entender como um povo primeiro-mundista como o norte-americano consegue conviver durante quatro anos com um homem barbado que se passa por um garoto de 12 anos sem desconfiar.

Para encerrar: minha querida prima Cíntia, que mora nos Estados Unidos e é fiel colaboradora do espaço de comentários do blog, faz aniversário hoje (15). Mil beijos.
Nem sob tortura eu conto quantos anos ela faz...

16 comentários:

José Luiz disse...

Zanfra, centenas de meninas, aqui no Brasil, mais especificamente no Café Photo, vendem suas virgindades para custear a faculdade. A diferença é que, como o crediário aqui é fácil, elas vendem em prestações - coisa de 200 a 300 reais por parcela. Não as condeno, nem a quem paga.

Lílian disse...

Enquanto penso no que vou escrever, adianto-me e parabenizo a Cintia: feliz aniversario!
abraço

Fabiano Marques disse...

Parabéns Cintia!
----------------------------------
Vai ver o garoto pancake era afilhadinho do diretor da escola. hehehehe
----------------------------------
Vamos prestar atenção numa coisa. A gatinha dos U$ é bonita hein!
----------------------------------
Soobre os estudos dos britânicos não vou nem exercitar os neurônios. Já, já eles fazem outra pesquisa e descobrem que bicho-de-pé tbm provoca infarte.
Se bem que, no pejorativo, isso já acontece. hehehehe
-----------------------------------
Feliz aniversário Cintia!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Puxa gente, obrigada!! Nao e todo dia que a gente faz 25 anos e recebe cumprimentos de gente tao legal!
Mas, aos assuntos..
1. Primo, sim ha virgens.. pelo menos ate elas deixarem de o ser..
(se eu tivesse tido essa ideia antes...)
2. Ja tinha lido alguma coisa que bacterias gengivais poderia prejudicar os rins..
3. Americano prefere nao ver.. ou entao por que voce acha que essa cafona reaça da Palin está se achando?
Beijos a todos!!

Marco Antonio Zanfra disse...

As virgens a que me referi, cara prima um ano mais velha, são aquelas virgens de verdade - mantidas numa redoma, puras, intocadas em todos os sentidos, castas em todos os sentidos. Aquelas que brincam nas dez posições e também no gol, mas mantém intacto um pequeno obstáculo fisiológico, para mim não contam. Se pintar de verde e ela perguntar "Verde?!?!", como contava Juca Chaves, já não vale.

fábio mello disse...

Se eu tivesse grana, pagaria. Ajudaria uma pobre alma a concluir seus estudos. Meu coração é puro como (sem tocadilho) a donzela.

Bonassoli disse...

Virgindade é algo irritante. Se a distinta não compartilha com o cara, ele acaba, em boa parte das vezes, deixando da moça. Pronto, ela oferece pro primeiro FDP que encontra.

Se ela compartilha com o camarada, há uma possibilidade imensa da moça ficar te lembrando isso o resto da tua vida. Isso pode ser bom. Mas pode ser péssimo caso você já tenha outra distinta.

O melhor mesmo são as experientes. Não tem "papai não quer" ou "mamãe não deixa".

Ok, é um comentário chauvinista. Reconheço.

Lílian disse...

Nao quero ser preconceituosa ou coisa assim, afinal ela faz o quiser do corpo e da virgindade dela, mas, vender a virgindade: isso ainda é coisa de "donzela"????

Anônimo disse...

A única donzela que vem resistindo a tudo, e isso porque é de ferro, é a "iron maiden". Esta, se ceder aos apelos capitalista e resolver negociar sua virgindade, poderá fazê-lo por quilo.

Anônimo disse...

Sera que ainda tenho direito de reclamar um pagamentozinho, ou sera que ja prescreveu?

José Luiz disse...

Caro Zanfra, desculpe-me frustrá-lo, mas os comentários do EscutaZé, esta semana, somaram 45. É que nesta edição na minha newsletter, eu só coloquei o link para o escutaze.blog.uol.com.br .
Minha intenção é, aos poucos, ir transferindo o blog só para o UOL. Não estou muito satisfeito com o "blog.com'. De qualquer forma, o "Fala, Zanfra!", bem mais novo que o EscutaZé já está bem de performance, hein?
Parabén.

abs

abs
semana, somaram 45.

José Luiz disse...

Perdão pela "linguiça" (é assim que se chama?) que sobrou no pé do comentário anterior. Essa história de "copia e cola" dá nisso.

abs

José Luiz disse...

Lembrei: não é 'linguiça', é "macarrão'...

Marco Antonio Zanfra disse...

Acho que não é nem "lingüiça" nem "macarrão". O "macarrão", pelo que eu me lembro, é aquela página simples, encartada no meio de uma página dupla, formando o caderno com seis páginas. "Lingüiça" é aquele petisco que a gente pode comer frito, assado ou na brasa, com ou sem farofa, e em breve sem o saboroso tempero do trema. Aquilo que você cometeu acho que se chama "descuido" mesmo.

fábio mello disse...

Macarrão ou viúva?

Marco Antonio Zanfra disse...

"Viúva" é quando a primeira linha de um parágrafo é a última linha de uma coluna (e o parágrafo, logicamente, continua na coluna seguinte); a "forca" é quando a última linha de um parágrafo é a primeira linha da coluna seguinte. Ou é assim ou é ao contrário.