segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Cachorro ao volante, perigo constante!


Dois assuntos. Primeiro:
Quem diria! Arnold Schwarzenegger – aquele brutamontes que desembarcava do avião pelo trem de pouso, só porque a aeromoça não queria, em plena decolagem, instalar a escadinha para ele descer – acaba de vetar na Califórnia, onde é governador, a lei que estabelecia multa para motoristas que fossem pegos dirigindo com animais no colo. Amoleceu, o troglodita.
O antigo exterminador do futuro disse que uma lei desse tipo – que aplicaria aos infratores multa equivalente a R$ 66, pouco mais do que uma infração leve no Brasil – não é prioritária para o Estado. Dessa forma, liberou os chamados cães motoristas, desde que sejam animais de pequeno porte. Ou seja, raças no padrão schwarzenegger, como rottweiller, mastim napolitano e são bernardo, não podem dirigir.
A idéia da punição partiu do republicano Bill Maze, depois de ter visto uma mulher dirigindo com três cães no colo. Para ele – e para muita gente, creio eu – essa prática reduz a atenção do motorista. No Brasil, é proibido dirigir o veículo “transportando pessoas, animais ou volumes à sua esquerda ou entre braços e pernas”, sob pena de multa de R$ 85,13.
O enquadramento está no artigo 252 do Código de Trânsito Brasileiro, o mesmo que pune quem dirige com o braço para fora da janela, com calçado que não se firme nos pés, com apenas uma das mãos ou enquanto fala ao celular. A norma é restritiva, mas pouco específica: não estando à sua esquerda ou entre braços e pernas do motorista, o animal pode estar em qualquer outro lugar dentro do veículo, independentemente de seu tamanho.
Pode estar, inclusive, no meio do banco traseiro, enchendo o espelho retrovisor, ou bem atrás do motorista, com a língua quilométrica pendurada e um incessante bafo em seu cangote. Ou mesmo no banco do passageiro, pronto para ceder à própria impulsividade e saltar sobre o colo do condutor para tentar apanhar um gato no carro vizinho.
Nada contra os animais, mas acho que seu transporte deveria estar sujeito a regras mais rígidas. Ora, se até para criança é obrigatório o uso da cadeirinha...

Outro assunto:
Dor-de-corno é como catapora: todo mundo já teve, tem, ou ainda vai ter. Mas um neurologista italiano acaba de descobrir que existe uma dor-de-corno ao contrário, que acomete não quem é corneado, mas quem corneia: é a chamada “cefaléia dos amantes", decorrente do estresse psicológico e do esforço físico para manter uma relação extraconjugal.
"Trata-se quase sempre de pacientes já com dores de cabeça, nos quais uma série de fatores, como alimentos afrodisíacos, remédios estimulantes, cansaço físico e o estresse psicológico devido à relação extraconjugal podem desencadear fortes cefaléias, que podem durar até três horas", explicou o médico. É um tipo de mal que afeta principalmente os homens, segundo o neurologista, por seu papel mais ativo em relacionamentos desse tipo.
Que não se jactem, contudo, os falsos come-quieto da vida, caso uma dor de cabeça como essa os persiga, pois os mesmos sintomas, de acordo com o médico, podem muito bem denunciar um aneurisma cerebral.

11 comentários:

Cintia disse...

Um assunto: Para a seguranca dos ocupantes do carro, inclusive o animal (nao, nao estou falando do motorista) e dos de fora do carro, todo mundo deveria estar "amarrado". Eu quando levo o Flea no medico, o levo na jaulinha propria, para a protecao dele e a minha..
Outro assunto: queria saber onde esses fogosos encontram energia pra casos extra-conjugais..

Cintia disse...

Peraí... Esse negocio que voce esta beijando na foto e a camisa do Parmera?
Espera até o André botar o olho nisso ..

Vico disse...

Opa, essa camisa verde-limão deve mesmo dar vontade de uma lambidinha. Lembra aqueles sorvetes feitos de suco artificial de alguma coisa. Se serve para alguma coisa, ou se deixa o time com mais força, não sei. Mas que chama a atenção, ah, isso chama!

Anônimo disse...

O problema é que, mesmo tendo lei regulamentando, não há respeito. O cinto é obrigatório e muita gente não usa. É proibido andar na contramão e muita gente anda. O problema não é lei, não é regulamentação. O problema é o brasileiro, a educação (!?) do brasileiro.

Sarah Wainer

Cintia disse...

O brasileiro pensa que lei é como moda.. costumam dizer: "ah, essa lei nao pega!"
Lei nao é pra "pegar", é para cumprir ou descumprir, sujeitando-se às consequencias do descumprimento..

Marco Antonio Zanfra disse...

Tirou daqui, cara prima: a maioria do povo brasileiro acha que a lei é para ser cumprida pelos outros. Os legalistas, esses que pensam como você e eu, são uns otários: lei é para ser burlada, só pelo gostinho de não se comportar dentro dos padrões educacionais de uma nação civilizada. Enquanto o brasileiro mantiver essa mentalidade, continuaremos na merda.

Marco Antonio Zanfra disse...

Outra coisa: já instiguei o André a manifestar-se sobre o que você falou em seu segundo comentário, mas parece que os são-paulinos - tirando você, que está de longe - não estão muito animados para falar alguma coisa sobre o Palmeiras. E viva minha camisa verde-limãozão!

Anônimo disse...

Buenas...
Me provocaram e aqui estou né?
Bom, quanto ao post sobre a lei, acho que terao que multar alguns politicos, e que as ongs defensoras dos animais nao me processem...
Hahahah

Agora, esta coisa no canto, que o ilustre colega dono deste blog beija é a camisa do palmeiras sim, mas poderiamos dizer que parece um vaga lume, um sinalizador, uma caneta marca texto, etc...
Nós São Paulinos né Cintia, nao nos afetamos com estas coisas nao, afinal somos o unico time brasileiro tri campeao da libertadores, tri campeao mundial e unico, unico penta campeao brasileiro, penta por enquanto, porque este ano seremos Hexa!
Enquanto isso, deixamos o campeao apreciar um pouco o sabor da liderança, coisa que faz tempo que eles nao sabem o que é!
Hoje aqui em Floripa Cintia, comeremos porco assado, porque o Figueirense irá acabar com esta lideranca do campeao da serie B.
Um abraço Cintia!
Falow tio!
boa sorte no jogo de hoje!
ass.
André

Marco Antonio Zanfra disse...

Aguarde...

Cintia disse...

Deve ser duro nadar, nadar e morrer na praia, ne?
So tenho pena, mesmo, do bicho "porco", que afinal nao tem culpa de nada!

Marco Antonio Zanfra disse...

Na verdade, na verdade, nenhum dos pobres bichinhos tem culpa de nada: nem o porco, nem o bambi...