segunda-feira, 26 de abril de 2010

Bazófias e mentiras

Tinha escolhido como tema da semana a tentativa de carteiraço de uma desembargadora catarinense, para evitar que o carro do filho fosse apreendido pela PM, mas mudei de ideia. Velho (mais de uma semana) e já repercutido nacionalmente – até Elio Gaspari falou disso na coluna de ontem da Folha de S. Paulo – o assunto está cheirando a mofo. E, convenhamos, de cheiro de mofo já basta o que temos de aguentar nas casas fechadas por causa da chuva que desde quinta-feira castiga Florianópolis.
Mas juro que não vou sair muito do assunto, pois vou falar da mentira, mais especificamente da mentira que os homens contam quando se veem obrigados a fazer um relatório da própria saúde diante de um médico.
Dizem que o homem só vai ao médico quando a mulher manda – em alguns casos, só com ameaça de divórcio – mas, mesmo cedendo ao apelo para cuidar-se, acaba mascarando sua realidade orgânica, talvez por medo de submeter-se a exames mais detalhados e, até, invasivos.
Uma pesquisa informal feita por médicos do Hospital 9 de Julho, em São Paulo, estima que pelo menos um terço dos pacientes masculinos mente. Mente sobre sua rotina sexual, sobre a alimentação, sobre o sedentarismo, sobre o tabagismo e, principalmente, sobre qualquer assunto que se refira à próstata.
Teoricamente, pelo que contam, todos os homens têm um comportamento saudável: consideram as idas eventuais à padaria da esquina como “caminhadas diárias”, não fumam ou bebem além dos parâmetros considerados moderados por sabe-se lá que tabelas e evitam consumir gorduras, café e açúcar além do recomendado por, também, sabe-se lá que tipo de entidade médica. “Muitas vezes o paciente conta uma história, mas o exame físico não bate com ela”, revela um dos pesquisadores.
Uma das mentiras mais comuns, segundo a pesquisa, não é uma mentira, mas uma omissão: os homens evitam queixar-se de desconforto na região da próstata, mesmo que o crescimento anormal da glândula esteja apresentando consequências desagradáveis à rotina urinária. O medo é justificável: se ele abrir o jogo, ainda que com parcimônia, o médico vai perguntar mais, cutucar aqui e ali e, de repente, o coitado do paciente já estará a um passo do toque retal, ainda considerado um tabu pela maioria. Pois é.
De minha parte, gostaria de lembrar aos corajosos companheiros – citando o cantor e compositor Johnny Alf como exemplo mais recente – que o câncer de próstata mata e que não há desconforto ou machismo que justifique o risco de detectar a doença tardiamente. A propósito disso, acabo de cumprir meu check-up anual e, aos 54 anos, continuo um garotinho: meu PSA registra pouco mais da metade do limite mínimo de segurança – o que me poupou, este ano, do toque – meu colesterol está no padrão limítrofe baixo e meus triglicerídeos nem chegam a fazer cosquinha.
Isso quer dizer que, se eu morrer amanhã, serei um morto com saúde invejável.

Como não falei do carteiraço da desembargadora, sugiro a meus poucos mas inefáveis leitores que quiserem saber mais sobre o affair que visitem o blog do repórter Fabiano Marques – basta procurá-lo na coluna de favoritos, ao lado – e inteirem-se do caso que mexeria com as estrutruturas do Judiciário, se tivéssemos vergonha na cara.

22 comentários:

O PODER DA MENSAGEM disse...

Ótima esta reportagem. Ótima!
Abs! Morrer com saúde ... hahahaha ... bom demais!!!! Você é demais!
Luiz Andrade

cilmar machado disse...

Sem nenhuma gozação, o meu médico urologista chama-se Dr. Piedade! KKKK
Quer dizer que, o cidadão ao submeter-se ao exame da próstata, poderá gritar pelo nome do médico à vontade...KKKKK
Qto ao colesterol e aos triglicerídeos, acho que não irei morrer com saúde, como você, Zanfra!...

Vico disse...

Fiquei frustrado por não ler sua abalizada opinião sobre o carteiraço da desembargadora, mas me diverti assim mesmo, principalmente com o comentário a respeito do médico do Cilmar. Como diria José Simão, isso não é nome, é predestinação! Ahahah!

Marco Antonio Zanfra disse...

Vai rindo...

cintia disse...

Liga nao, primo.
Quem sabe no proximo ano voce da mais sorte..

Parabens pelos indices. Compartilhe sua dieta conosco..

Anônimo disse...

Prezado Zanfra
Minha madrinha sempre diz que:"gostaria de acordar morta".Entendo o que ela quer dizer: fazer a passagem sem sofrimento é um privilégio.Mas acordar....vai ser mei difícil.O que isso tem a ver com os homens e os médicos? Se é possível detectar o que quer que seja,em tempo hábil,com certeza os desconfortos enormes,desagradáveis, futuros,serão evitados. E por que não optar por uma vida mais confortável? É difícil....mas é preciso ser forte e ter coragem e ir,sim, ao médico...mesmo que só para simples chek-up. Homens...não compliquem....simplifiquem.
bjussssssssssssssss
sonia carotta

Marco Antonio Zanfra disse...

O segredo da minha dieta, cara prima, é que ela não tem segredos... além do meu privilegiado metabolismo. Não como muito porque meu organismo se satisfaz com pouco - mesmo que consuma gorduras, açúcares e outras coisas pesadas, a quantidade não será suficiente para sobrar. O que não é transformado em energia pelo processo metabólico sai no ato de passar o fio dental.

bob disse...

Se voce não come nada com medo de adquirir altas taxas de gorduras e trigliceris, com certeza voce está fadado a ser um saudável cadáver no necrotério

Marco Antonio Zanfra disse...

É exatamente o contrário, Bob: eu como de tudo - pouco, mas de tudo. Não tenho qualquer preconceito contra gordura, carne de porco, toucinho... Mas em contrapartida também me dou muito bem com frutas, legumes e verduras. Meu equilíbrio alimentar é algo natural, nada forçado.

Blog do Morani disse...

Ai zanfra:

Você está correto, não tirando a razão de seus visitantes comuns. De sábio e de louco, todos nós temos um pouco. Comer muito não faz bem. O ideal, e importante, devemos à mastigação - 40/50 a cada garfada, e devagar. Prato colorido: muita verdura e folhas como salada, legumes (nunca mais de um) frutas e fibras. O bom é se colocar um pouco de linhaça dourada, moída ao liquidificador, em meio aos alimentos. Dieta colorida leva pimentões - amarelo e vermelho - beterraba crua e ralada ou mesmo cozida, repolho roxo cru bem picado, pepino, rúcula, alface, arroz, feijão e
abóbora. É um prato a la Monet ou não? Açucar só mascavo ou mel e pão só integral. Carne, pouquíssima (10 gramas, magra). As frutas devem ser ingeridas em jejum e bem antes da primeira refeição. Proceder aos exames regularmente para o controle das taxas, e o PSA semestralmente mais toque retal. Você pode se considerar um finado com saúde, e agora: paguem a consulta!

Fabiano Marques disse...

Morrer bem de saúde é um sonho de consumo. Nada de sofrer e ficar chamando o Sr. Piedade.
Aliás, lembrei do blues do Cazuza:
"Pra essa gente careta e covarde. Vamos pedir piedade. Senhor, piedade. Lhes dê grandeza e um pouco de coragem".

hahahahaha Nesse caso, muita coragem. hahahahahaha

Seguinte, no clima de piada pronta, aqui vai uma de um cara franco, muito franco, quando foi ao médico:

O sujeito vai ao médico, caindo de bêbado. Durante a consulta, vêm as perguntas de praxe:
- Nome?
- Juvenal dos Santos!
- Idade?
- 32 anos.
- O senhor bebe?
- Vou aceitar um golinho, pra te acompanhar!

abrassssssss

Marco Antonio Zanfra disse...

É izzzzu aí, Juvenal!

Anônimo disse...

Eu confesso: digo ao meu médico que fumo dois a três cigarros por dia. Na verdade, é a metade do que realmente fumo.

abs
jluiz

Kafka disse...

Dizer que fumou dois cigarros, quando na verdade fumou quatro, é café pequeno. Eu pretendo mentir com mais impacto: vou dizer para o médico, por exemplo, que por um problema congênito nasci sem próstata...

Jacinto Antonio disse...

Caro Zanfra.

Acho que o medo de dizer para o médico "sinto que te amo" acompanha muitos candidatos a câncer de próstata. Conheço um cara que quando vê um sujeito com a mão muito grande sente calafrios em pensar que ele poderia ser seu proctologista (não sei se é calafrio ou excitação). Sinceramente, esse assunto me fez lembrar o quanto tenho adiado uma visita ao médico, acho que definitivamente tenho que voltar a dar uma atenção especial ao meu colesterol, triglicerídio (que já foi estratosférico) e ver como anda meu coração. Quanto a Desembargadora, vale também prá ela a aposentadoria compulsória?

Um forte abraço.

Jacinto.

Marco Antonio Zanfra disse...

Sobre a aposentadoria, que seja proporcional aos "serviços prestados". O problema do Judiciário é que o cara faz caca e é "promovido" com aposentadoria integral ou remoção para uma comarca muito melhor do que aquela em que estava. Você nunca vai ver um membro da "casta" ser devidamente punido. E, se você disser que eu disse isso, eu nego.

Serafim disse...

CARO ZANFRA

Ultimamente vc anda falando muito da tal da próstata.Parece até que tá com saudades do médico dedudo.Que tal falarmos da potência masculina ou isso é coisa do passado.Brincadeiras a parte,vc continua com o mesmo pêso do tempo da Cásper ou a dieta o fêz magrelo como eu.

Abraços

Marco Antonio Zanfra disse...

No tempo da Cásper, eu já era magrelo como você, meu amigo "Loco Abreu", ou até mais. Nunca fiz dieta: meu organismo é que se satisfaz com pouco.

Zé Rodrix disse...

Há uma semana fiz uma bateria de exames."Tá tudo bem senhor, José."E agora tô vendo Jesus sem a moto.

SERRA MALTE ASSISTÊNCIA tÉCNICA disse...

Assistência técnica em modens,computadores,eletroeletrônicos em geral.Não cobramos visita.Só a cervejinha.

Marco Antonio Zanfra disse...

Pois Zé Rodrix é um dos melhores exemplos do que é morrer com uma saúde invejável.

gabizinhaaa disse...

Oi Zanfra.

Com relação ao Hindu, qualquer semelhança com o blogueiro é mera coincidência. Acho que os dois são magros de ruim.
Se disserem que a igreja onde esse falso padre ficou pregando durante dois anos é uma zona eu discordo. Acho que nem na zona uma funcionária passaria despercebida durante tanto tempo.