segunda-feira, 3 de maio de 2010

É o vice, uai!

Sei que o assunto é sério.
A falsa comunicação de sequestro chega a ser tão cruel quando um sequestro real. Sei de casos de mães que tiveram problemas cardíacos e morreram diante da mentira do sequestro de uma filha. Conheço gente esclarecida que foi levada a fazer tudo o que o interlocutor exigia ao telefone, crente que disso dependia a vida de um filho. Resumindo: não é assunto para brincadeiras.
Mas é impossível não fazer piadinha diante da inusitada tentativa de golpe de que foi vítima o vice-presidente José Alencar, na semana passada. O absurdo da situação, o disparatado diálogo entre bandido e vítima, o pirandelliano desfecho... Só aqui mesmo! Em que outro país do mundo o vice-presidente não teria um ajudante-de-ordens para atender seu telefone? Em que outro país o vice, por atender o próprio telefone, estaria permeável a esse tipo de golpe? Em que outro país ele cairia nesse tipo de golpe?
Ganha uma mariola açucarada quem respondeu só no Brasil, mesmo!
Alencar deve ser a vítima predileta dos operadores de telemarketing.
Fico imaginando as caras, de cada um dos lados da linha, durante o diálogo:

— Qual é a atividade do senhor?
— Eu sou vice-presidente da República.
— O quê?!?!
— Sou vice-presidente da República.
— Qual o nome do senhor?
— José Alencar Gomes da Silva.

Daí, o vice diz que sua família chegou e deu para saber que a filha Maria da Graça não tinha sido sequestrada. Mas eu acho que o bandido desligou antes. De susto. Imagina só: ele estava aplicando um golpe no vice-presidente da República!!! Acima dele, só o Lula!!! Os amiguinhos da penitenciária não iriam acreditar!!!
Mas dá para perceber que o presidiário não era uma pessoa muito bem informada. Se fosse, iria saber que José Alencar Gomes da Silva não é apenas vice-presidente da República, mas diretor-presidente da Coteminas, conglomerado têxtil com unidades em Belo Horizonte, Blumenau, Campina Grande, João Pessoa, Macaíba, Montes Claros, Natal e São Paulo, além da Argentina. Por isso, que papo é esse de “não tenho dinheiro”, “não tenho joias”? Como é que o dono de uma empresa dessas não tem dinheiro ou joias?
Nem pelo menos alguns metros de gabardine?

Aproveitando o clima de piadinha, dá até para fazer uma paródia como o carteiraço que agitou o Judiciário catarinense duas semanas atrás. Basta adaptar o diálogo, utilizando as palavras que certa operadora do Direito usou com os PMs na rua:

— Qual é a atividade da senhora?
— Você não sabe quem eu sou?
— Não.
— Eu sou desembargadora do Tribunal de Justiça.


Também nesse caso, o falso sequestrador certamente desligaria o telefone.

29 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Zanfra
Pensando bem...acho que vou pro Paraguai....até por lá, creio que as coisas estão mais séria que aqui.
Owwwwwwwwww dó visse.
Desabafo: o Santo André foi Campeão...só não levou a taça,veja bem, eu sou curintiana.
Misturei alhos com bugalhos? Me perdoe...eita 2a.feira "braba".
bjusssssssssssss
sonia carotta

Marco Antonio Zanfra disse...

Também torci para o Santo André, apesar de ser palmeirense. E o Santos só foi campeão com a ajuda do juiz (o gol anulado foi legalíssimo!).

Anônimo disse...

No caso do sequestro falso do vice, a polícia encontrou orespomsável no mesmo dia. Quer dizer, poderia fazer isso com o cidadão comum - ou está mancomunada ou é prevaricação.

abs
josé luiz teixeira

Anônimo disse...

Por favor, não considerem o m antes do s na meu comentário anterior...

jlt

Marco Antonio Zanfra disse...

Ora, José Luiz, não precisava preocupar-se: os leitores do Fala, Zanfra! são poucos, mas criteriosamente selecionados, e certamente vão saber que você cometeu apenas um erro de digitação.

Gleydson disse...

Bizarrices não param de acontecer... Já ligaram pro meu irmão dizendo que eu tinha sido sequestrado; detalhe é que nem no Brasil eu estava! Rerererere...

Espero a minha mariola açucarada pelo correio. :-)

Abraços e boa semana!

Carlos Martí disse...

Fiquei sem Mariola. A distância (ou, ao menos, a sensação dela) entre governantes e governados é (ou foi) mais acentuada justamente no Brasil. Vide a inconfundível imagem do primeiro ministro britânico e respectivo consorte em frente ao sobradinho número 10 de Downing Street recebendo a imprensa. Deve ser ótimo poder discar e que, do outro lado, responda aquele que recebeu meu voto (ou o seu adversário).

Carlos Martí disse...

Frustrações entre as quatro linhas não tem fronteiras, torci feito louco pelo Osasuna e no fim também não deu. Cristiano Ronaldo aos 43 do segundo tempo. Visca Barça!

Marco Antonio Zanfra disse...

Melhor do que Cristiano Ronaldo aos 43 é Cleiton Xavier aos 49 do segundo, de pênalti, impedindo um zero a zero do Palmeiras contra o Atlético Goianiense, em pelo Parque Antarctica.

Carlos Martí disse...

O mais triste de tudo é que para entender a réplica, tive que procurar onde jogava Cleiton Xavier e que torneio enfrentou Palmeiras e Atlético Goianense... e olha que eu até vejo alguns partidos brasileiros, aqui.

Marco Antonio Zanfra disse...

Não se queixe, Carles: é muito mais fácil descobrir que Cleiton Xavier joga no Palmeiras, que enfrentou o Atlético Goianiense pela Copa do Brasil, do que o raio que significa "osasuna". Parece nome de sushiman japonês!

Blog do Morani disse...

Taí claro como água de fonte: como diz José Luiz Teixeira, localizaram rapidamente o "engraçadinho" que ligou para o Vice. Por que não funciona ao cidadão comum?
Eu esqueço, às vezes, que o nosso Brasil é de uma elite e não do povo.
Sou Flamenguista e torci pelo Santo André, que inclusive já tirou o Mengo de uma disputa em pleno Maracanã. O Santos não tem culpa, mas a bandeirinha loura anulou um gol tão limpo quanto os demais. Pena que os erros sejam mantidos. Os juízes teem a prerrogativa de validar gol suspeito e não invalidar seus próprios erros? Mudanças são necessárias, urgentemente.

Fabiano Marques disse...

Não sei se vocês perceberam, mas, no dia seguinte, a polícia do Rio de Janeiro prendeu uma mulher que fazia um falso sequestro.
Por telefone ela exigiu dinheiro de uma idosa que, para soltar o marido do falso sequestro, pegou um taxi e estava a caminho da entrega da bufunfa.
O taxista desconfiou do nervosismo da senhora e descobriu a história, comunicando a polícia.
A mulher era cumpllice de bandidos presos em presídios do Rio.
A casa caiu.

Marco Antonio Zanfra disse...

É de taxistas como esse que o Brasil precisa... Ou de camelôs como aquele que descobriu o carro-bomba na Times Square...

Eliz disse...

Oi Zanfra,

Situações como essas servem como lição, ou você "é" ou não "é", assim, quando algum sequestrador ligar para o seu telefone, o melhor é dizer que é "alguém" importante, a Dilma o Lula..... O bandido vai se assustar e desligar o telefone, só não podemos fazer isso com os agentes de trânsito... Ehehe!

bob disse...

Pois é Zanfra, os idosos incautos e desatualizados sofrem muito com a ação desses facínoras. Agora porque prenderam só o que ameaçou nosso sofrido vice-presidente. Hein? pergunta idiota? afinal isso é Brasil!!
Agora - assunto sério - anularam sim indevidamente o gol do Santo Andre. Sua Magnificiência o Juiz foi levado ao erro pela modelo decadente M.Luiz....E O PENALTY NO AROUCA, quem foi que anulou????
E o show vai continuar.
Abraços
Bob Aguiar

Vico disse...

Acho que o caso do ambulante lá de Nova York não é bem o que parece. Não aconteceu de ele ter descoberto o carro-bomba antes da detonação, função que caberia à CIA, mas de ter presenciado o PUF! da detonação que não houve. A verdade é que a bomba, caseira ou não, acabou dando chabu. Se tivesse dado tudo certo, não ia sobrar pedaço de vendedor ambulante para contar a história.

cilmar machado disse...

Bem fiz eu que, no domingo pela manhã, acompanhei Linense x São Bernardo,pela Rede Vida.Moro a cem metros do campo, mas não me animei pois havia mais de 20.000 torcedores no Campo. O time da minha terra e do meu coração ¨subiu¨para a 1ª Divisão (Campeão da A-2, Campeonato Paulista) e, ano que vem, irá pegar o Santos de Neimar, o Palmeiras do Zanfra e outros mais. A cidade está em festa e quero compartilhar isso com todos amigos do Blog do Zanfra.

Marco Antonio Zanfra disse...

E viva o Linense, caro Cilmar! E, por falar no "Palmeiras do Zanfra, um aviso ao Diego Souza: ganhei uma camisa oficial com o número 7 e já estou em boas condições de disputar a posição com ele. Não sei se aguento o jogo inteiro, mas em 45 minutos sou mais eu!

Carlos Martí disse...

Não me digam que o velho "Lináqueo" está de volta. Preciso avisar meu primogênito que é de Lins.

Carlos Martí disse...

Realmente, Osasuna parece nome de "geisha", mas em realidade é o time de Pamplona, cidade muito mais famosa pelos San Fermines, que tanto cativavam Hemingway do que pela excelência do seu futebol. Osasun significa "saúde" e o "a" final é o artigo, em euskera, ou vasco ou, ainda, vascoense. Dizem tratar-se do idioma ainda existente, mais antigo da Europa, de origem desconhecido e que possivelmente guarde algum parentesco com o oriente.

Serafim disse...

CARO ZANFRA

Com a minha esposa aconteceu algo inacreditável.Funcionária da Prefeitura de Cerquilho (Coordena o Projeto de Esportes) ela falava pelo celular com a nossa filha que trabalhava em Araçatuba (hoje está em SP)quando o telefone fixo tocou.Ela ao atender foi "ameaçada" pelo "sequestrador" que dizia estar com a nossa filha em seu poder (uma garota berrava desesperadamente) e que só a soltaria se a patroa fizesse um depósito em c/c.Parece brincadeira mas não é.
Das duas,uma:ou a patroa é sortuda ou o pilantra é muito azarado.
Quanto ao Verdão, não esquenta,do jeito que vai logo logo vai ter clássico com a Lusa na Série B.

Abraços

Marco Antonio Zanfra disse...

Carles - Então, tá: depois dessa deliciosa aula de etimologia e linguística, passei a ser fã do Osasuna!
Serafim - Nosso amigo Zé Luiz também passou por uma dessas: só que o "sequestrador" disse que estava com a filha dele, e o Zé tem três filhos homens.
Quanto a Palmeiras e Lusa na série B, já aconteceu uma vez e nada impede que a história se repita. Mas não custa lembrar que, quando Palmeiras, Botafogo e Portuguesa caíram, os dois primeiros voltaram a subir logo no ano seguinte...

Kafka disse...

Também fiquei imaginando o diálogo:
- O que o senhor faz?
- Sou vice-presidente da República?
- Como assim?
- Assim mesmo. Fico naquele trem lá em Brasília, esperando o barbudo sair pra ficar no lugar dele.
- Enão, o senhor me desculpe, excelência.
- Tudo bem. Mas vote na Dilma.

Ricardo Câmara disse...

Esse tipo de "jogada do colar,colou" tem surtido efeito em alguns casos no meio da malandragem. Vejam bem, o sujeito desocupado, totalmente entregue ao ócio,talvez passe parte do seu dia, entrando na frequência das ondas de rádio, que é a mesma de telefone celular, e por isso,com a ajuda da tecnologia, principalmente através da rede de computadores (Internet, que é uma mãe para ensinar determinados truques virtuais), grava uma conversa de um determinado número de telefone, consegue se familiarizar com a voz em linhas cruzadas, treina as palavras e possivelmente, tenta-se passar pela pessoa que está do outro lado da linha e aplica o famigerado golpe.Foi o que aconteceu com o nosso vice-presidente, Alencar, pois o mesmo quase caiu, pensando que se tratava da sua filha cuja voz parecia idêntica.Entretanto, cabe ao receptor, nessas horas, manter-se firme e ouvir com firmeza e identificar a fala de qualquer ente querido. Não é fácil, pricipalmente quando se trata de uma figura bastante ocupada que mantém uma agenda de compromissos lotada por todas as horas do dia. É nesse ensejo que o pilantra entra fácil feito faca em melancia, entenderam?

Marco Antonio Zanfra disse...

Pelo que entendi, cabe à melancia, portanto, tornar sua casca mais impenetrável, estou certo?

Carlos Martí disse...

Boa notícia do esporte bretão, Marco: nosso Osasuna garantiu a permanência na primeira divisão para a próxima temporada, graças à vitória de ontem por 3 a 1 em La Coruña. O resto, não tem importância.

Marco Antonio Zanfra disse...

Muita saúde para o Osasuna!!!

Jacinto Antonio disse...

Oi Zanfra.

A que ponto chegamos. Telefonar de celular (ou orelhão) de dentro da cadeia para extorquir dinheiro ameaçando familiares de quem atendeu o telefone, acho que só no Brasil mesmo. O problema não é a criatividade do meliante, mas a incompetência do poder público permitindo que isso continue acontecendo. A franqueza e ingenuidade do Vice-presidente é digna de registro. Quanto a piada envolvendo a Desembargadora - e se o bandido tentasse alguma negociação (diminuição de pena, soltar algum amigo,...) será que lograria êxito?

Um forte abraço.