segunda-feira, 27 de julho de 2009

Sorte ou azar?

Sou um daqueles milhões de brasileiros típicos que não têm qualquer intimidade com a sorte. Jamais ganhei algo em loterias, rifas, bingos, tampinha premiada, vale-brinde em saquinho de Elma Chips ou picolé de graça no palito da Kibon. Se existe uma fada dos sorteios, ela certamente atravessa a rua quando me vê. Só me consola o fato de que não sou o único desditoso: como eu, são milhões de deserdados – centenas de milhões, se considerarmos a horda de habitantes que pisa com seus pés-frios a superfície do planeta.
Antes que me perguntem, revelo que também não sou dado a achar nada de valor na rua. Houve uma fase negra de minha vida em que eu – desempregado, morando sozinho e ainda adepto da bebida – andava de cabeça baixa pelas ruas de Florianópolis, procurando pelo chão alguma sobra do infortúnio alheio. Em vão, porém: não só não achei nada, como ainda agravei meu problema postural.
Até agora, eu tinha encarado a sorte como algo maniqueísta, sem meio-termo: ou você tem, ou não tem. Não existe quase sorte. Você pode até apostar em números muito próximos das seis dezenas da megassena, mas isso não significa que você quase teve sorte. Significa, na minha modesta opinião, um azar redobrado, porque aliado à frustração de quem dá com a cara na porta.
Mas esse caráter antagônico de ter ou não ter sorte está merecendo hoje, de minha parte, uma reavaliação: o indivíduo que encontra um bilhete premiado na rua e bota a mão num prêmio de quase R$ 100 mil pode ser considerado um cara de sorte?
A se basear numa história acontecida semana passada na Grã-Bretanha, a resposta pode surpreender. Nesse “fato real”, como diria o vulgo – na hipótese absurda de fatos poderem não ser reais – a verdadeira dona do bilhete conseguiu provar que o prêmio era seu de direito e o casal que encontrou o talão perdido teve de devolver o que já gastara, além de amargar um período de onze meses em liberdade condicional, por não fazer o que seria correto – para os britânicos – que seria entregar o bilhete à entidade promotora da loteria.
Espantoso, né? No Brasil, onde políticos “enriquecem” com sucessivos prêmios lotéricos e ninguém desconfia, adivinhem se a verdadeira ganhadora do sorteio teria como provar que o bilhete era seu...

Como quase todo mundo, odeio spam. Fico indignado com as dezenas de mensagens de “enlarge your penis”, entre outras, que recebo todos os dias, invariavelmente, numa proporção em média três ou quatro vezes maior do que as mensagens que são de meu interesse. Por mim, eu queimaria os spams na origem.
E é justamente isto que estou fazendo. A partir de hoje, não vou fazer com os outros o que não quero que façam comigo: não vou enviar mais às quase oitocentas pessoas de meu mailing o aviso de que o blog foi atualizado, como acontece todas as segundas-feiras. Tenho consciência de que muitas pessoas fazem como eu e não abrem a mensagem. Então, por que gastar tempo, energia e paciência dos outros com uma correspondência que vai ser dispensada de cara?
Nessas 120 postagens do blog, contando com a de hoje, o Fala, Zanfra! já conquistou seus poucos mas fiéis leitores. E eles sabem quando e onde nos encontrar. Portanto, não há necessidade de chatear outras centenas de ilustres desconhecidos com um spam que, para o público fiel, é redundante. Além de ser cansativo para quem envia.
É claro que haverá quem continue querendo receber a mensagem do blog, e a esses terei o máximo prazer em atender, desde que solicitado. Spam, porém, nunca mais!

41 comentários:

Bonassoli disse...

Eu não me importava em receber o alerta enviado pelo amigo. Mas admiro sua atitude. E, certamente, audiência já tens.

roberto disse...

Cara Zanfra
Pode manter o meu nome no seu mailing ou seja lá o que for, não me incomodo não e quero continuar recebendo-os...
Roberto de Aguiar

Eliz disse...

Oi Zanfra,

Concordo com você, ou temos sorte ou não temos... Me considero uma pessoa de sorte, pois já ganhei em bingos, sorteios, já encontrei dinheiro na rua, quanto aos sorteios de loteria "ainda" não ganhei, mas pretendo ganhar, se a sorte me ajudar, quem sabe eu não ganho 25 milhões quarta-feira... Se ganhar posso até patrocinar o seu livro, heim! Aah pode continuar mandando os e-mails da atualização de seu blog, pois apesar de ser "sortuda" não tenho uma boa memória e vou acabar esquecendo de comentar.
Um abraço!

Gleydson disse...

Oi Zanfra! Sou um dos que não me incomodo. ;-)

Agora, que esse pessoal do "enlarge your penis" é muito sabido, isso eles são! Rerererere... Todo dia recebo uma 1/2 dúzia desses.

Abraços!

fábio mello disse...

Pode continuar mandando pra mim.

Carlos Brickmann disse...

Zanfra:
Eu quero continuar a receber sua mensagem. Eu não quero aumentar meu pênis, nem acredito que a Loteria da Espanha me dê prêmios sem eu comprar bilhete, não estou interessado nas fotos que uma moça semi-analfabeta diz que tirou quando estivemos no motel (se estivemos mesmo, eu já vi as fotos ao vivo e não preciso delas; se não estivemos, é um engano). Mas gosto de lê-lo.
Abração
Carlinhos

PS: aliás, gostaria mais ainda se o blog viesse já pronto, aberto na web, sem precisar clicar em nada. Fico ansioso pela leitura.

José Luiz Teixeira disse...

Tem mesmo muita porcaria por aí lotando as nossas caixas e seguramente eu também jogo mais de 50% fora. Mas, eu quero que vc me mantenha no seu mailling e me envie suas crônicas semanais porque as leio sempre e gosto delas.
Se gente como vc deixar de escrever, teremos pouca coisa boa para ler.

Ricardo Kotscho disse...

que boa notícia, zanfra!
brincadeira...
este foi o melhor post teu que eu li.
nunca achei bilhete de loteria premiado, mas já perdi um, pouco antes de casar...
este negócio de spam é foda.
já arrumou namorada? aí em floripa mulher bonita é o que não falta...
boa sorte.
abração,
ricardo kotscho

disse...

Ufa! Por um momento achei que vc estava desistindo de escrever no blog!!
Eu sempre chego aqui ou pelo seu email, ou pelo feed (assino o seu blog no meu google reader e recebo todas as atualizações!).
Então, apesar de não acar ruim o email, posso me virar bem só com o feed!
;)

Marco Antonio Zanfra disse...

Como assim, "já arrumou namorada?" Deixa dona Mary Kazue Zanfra ler isso e eu tomo uns três ou quatro 'spams' em cada orelha...

Cintia disse...

Tambem nao tenho muita afinidade com a sorte... So ganhei uma coisa na minha vida, quando eu tinha uns 5 anos: uma caneta tinteiro verde.. Lembro ate hoje! mas aos cinco anos, aquilo de nava me valeu ..
Quanto aos spams, se eu tivesse "enlarged" o penis que eu nem tenho, seria o ser mais bizarro da natureza..
Olha, nem preciso receber seu e-mail, pois todo dia, hora de almoco, vou direto no blog por minha conta.. So vejo o e-mail a noite, quando chego em casa..

Anônimo disse...

Por favor continue enviando para mim, gosto do seu texto.

Moises Perez Renjiffo

Nicanor Amaro disse...

Seja feliz na nova empreitada Zanfra. Você merece todo respeito pelas opiniões e omissões que porventura possa ter ocorrido. Afinal, como afirma o "catedrático" Berlusconi ninguém é santo nessa terra que há muito tempo já estão mandando para a p...que p... ou seja, que todos se lixem.
Forte abraço.
Nicanor.

Regina disse...

Quero continuar a receber...

Vanderlei disse...

Continuarei a ler o seu blog, independentemente de spams ou não, pois os textos são concisos e interessantes.

Blog do Morani disse...

Eu, Morani, não posso reclamar de parte da sorte; já por duas vezes acertei a quadra da Mega Sena, um terno na antiga Sena - nesse tempo, terno pagava -, achei dinheiro na rua - pouca coisa -, achei minha atual esposa - maravilhosa -, mas perdi uma blusa de lã que minha filha me trouxe da Turquia, linda, que para o frio de Nova Friburgo esquentava bastante. Na vida se ganha e se perde, todavia não desejo, como muitos de seus amigos comentaristas, perder os seus textos de seus blogs. Junto-me a todos eles para "exigir" me sejam enviados, sem falta. Algumas vezes eu também penso em "apagar" o meu blog, contudo reservo as sextas-feiras para inserir alguma coisa lá. Tudo isso me ajuda a relevar os dissabores com os quais topamos vez por outra. Parar de escrever é o mesmo que parar de respirar, todavia você não deixa de ter razão: elaborar semanalmente um blog como o seu é cansativo, mas para quem recebe é prazeroso. Se continuar a recebê-los, agradeço desde já a deferência. E bola pra frente meu amigo. Boa sorte, seja qual for a sua decisão.

Anônimo disse...

Caríssimo Zanfra.Apesar do pouco tempo, viciei nos seus escritos virtuais e, assim, peço ao amigo que mantenha o envio automático do seu blog. Não se avexe não, porque vcs tem mais fãs do que imagina, suponho eu. Abs.

Anônimo disse...

Caro jornalista Marco Antonio,
Mas, como é isto? De uma hora para a outra acaba assim? E estas quase 800 pessoas, entre as quais estou incluída, vão ficar órfãs? Vai partir para outro tipo de comunicação rápida?
Vou saber mais daqui a pouco, mas, fica registrado o meu protesto, certo?
Abs.
Diana Utsch

Marco Antonio Zanfra disse...

Parece que não fui bem claro em minha explicação, e acho melhor ser mais específico: vocês não estão livres de mim, mas do e-mail que eu mandava todas as semanas para avisar que o blog havia sido atualizado. Não desisti de escrever. O Fala, Zanfra! continua no mesmo lugar, sendo atualizado toda segunda-feira, aberto à visitação e à espera dos indispensáveis e impagáveis comentários. A única coisa que muda é que, a partir da próxima semana, vou encaminhar o e-mail apenas aos leitores que estão pedindo para continuar recebendo.

José Luiz Teixeira disse...

Zanfra, tenho um homônimo entre seus leitores. Há umcomentário de outro José Luiz Teixeira que não eu, mas endosso o que ele escreveu. Não endosso o que você escreveu, pois há uma diferença entre "spam" e newsletter (ou boletim), ou ainda, "chamada" de sites e blogues de conteúdo. O Spam é espalhado aleatoriamente para vender um produto e não tem possibilidade de o recebedor tirar seu nome da lista. A newsletter não é enviada aleatoriamente e dá essa possibilidade ao recebedor, o que está dentro dos parâmetros éticos da Internet. Portanto, continue mandando suas chamadas (newsletters), pois elas não são spam.
abs
jluiz

Anônimo disse...

Prezado Zanfra

Pode me manter...pois se não recebo sua mensagem...acho que falei bobagem.....quanto à sorte,ou, azar,sei lá....sou daquelas que sempre passam perto...sae o 44, eu por acaso tinha o 43 e 45...e assim por diante.Mas eu sou uma das desconfiadas das loterias, apesar de conhecer alguém que ganhou na Mega...fez a quadra....enfim,sempre penso...creio que não ganho pois o premio só me traria mais dificuldades que benesses rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs
beijo
Sonia Carotta

Marco Antonio Zanfra disse...

Opa, não é para qualquer um ter dois José Luiz Teixeira entre os leitores!
Este recado vai para o segundo, por ordem de chegada, o Zé Luiz do blog "EscutaZé": estou fazendo uma lista com quem deseja receber a newsletter (ou o "spam", ou o que seja) e, creia, essa lista está muito aquém daqueles 800 que estavam recebendo o e-mail semanalmente.
Os leitores fiéis estão se manifestando; para os outros, acredito, eu não passo mesmo de um "spam". Além disso, diferentemente de você, eu faço o endereçamento manualmente - e isso cansa, cara!

Emanoella disse...

Olá, gostaria de continuar recebendo as novidades do seu blog.
Abraços.

Anônimo disse...

Viiiiiiixi! Essa do R.Kotscho também me gelou o sangue nas veias kkkkkkkkkk!
Quero continuar recebendo sua mensagem, como também não sou íntima da sorte, vai que esqueço de entrar no seu blog e depois tenho que ler uns tres artigos por vez e perco o bonde da história. Abraços,
Zélia Pinheiro

arfocsp disse...

Olá, Zanfra!!
Curto muito as suas mensagens, quero continuar sendo uma de suas leitoras.
Abraços,
Valdelice

cilmar machado disse...

Pô, Zanfra!
Nunca ganhei na Loteria (seja ela qual for) e agora, quando comecei a ¨ganhar ¨ seus avisos de que nova matéria havia em seu Blog, você quer me cortar a jaca? Isso é muito azar... Poupe-me dessa tristeza! rs rs rs
Há uma maneira do que você chama de spam serem enviados de uma só vez, sem provocar-lhe cansaço. Fale com alguém da área e não me deixe fora, tá?
Em sua crônica, gostei da história de recuperação pessoal que narrou. Só por isso vale lê-lo e admirá-lo sempre.

Marco Antonio Zanfra disse...

Fique tranquilo, Cilmar: seu nome já faz parte do novo mailing só com "clientes preferenciais".

Enéas disse...

Meu caro, quem escreveu esse post arriba foi eu, que esqueci de assinar.É que faltou colar a retranca. Abs

Marco Antonio Zanfra disse...

Maravilha, Macedinho! Estava difícil saber para quem continuar mandando a newsletter, já que o comentário saiu sem assinatura. Agora, sim. Bem-vindo ao novo mailing.

Vico disse...

E eu, que nunca recebi nenhum comunicado sobre a atualização semanal, como devo proceder para continuar lendo o blog?

Marco Antonio Zanfra disse...

Aliás, Enéas, por falar em "faltou colar a retranca", acho que a última vez que ouvi essa expressão foi na época em que trabalhamos juntos no antigo Folhão, quase trinta anos atrás!

Gennara Vitti disse...

Não vou colocar em dúvida a qualidade do texto que nos acostumamos a ler em seu blog, mas acho que você deve se preparar para uma decepção: se está tentando medir a receptividade do Fala, Zanfra! pela quantidade de pessoas que estão pedindo para continuar recebendo o aviso de atualização, o resultado pode ser uma notícia ruim. Dessas quase 800 pessoas que você diz que recebem a correspondência, duvido que 20% a abram e que 5% leiam o blog regularmente. Repito que o problema não está na qualidade do texto, mas na qualidade do leitor. Nosso povo não lê, e acho que foi para esse povo que inventaram o Twiter: para ler duas ou três linhas, qualquer brasileiro médio é capaz.
Mas não fique triste. Nós, seus "poucos mais incansáveis" fãs, não o deixaremos na mão.

Serafim disse...

CARO ZANFRA

Eu, como bom português, bilhete premiado nunca achei mas em compensação duplicatas pra pagar, algumas.Só consegui pagar até agora 50%.
Espero que não se esqueças de mim.

Abraços

Marco Antonio Zanfra disse...

Gennara: Você tem toda razão. Mas isso significa que você quer continuar a receber o e-mail?
Serafim: Prontinho, velho companheiro. Seu nome já entrou na nova lista.

Cintia disse...

Alguem pode me explicar o significado de "faltou colar a retranca".. como nao sou dessa epoca, nao entendi..

PS.. por onde anda o Carlos?

Marco Antonio Zanfra disse...

Por partes, Cíntia:
1 - Colar a retranca é linguagem jornalística. Papo de redação. Antigamente, quando a gente escrevia no papel, as chamadas laudas eram "retrancadas" - ganhavam letras (ESP para esportes, por exemplo) e números, que a identificavam no diagrama (desenho) da página.
Cada retranca é colada numa lauda, com o texto correspondente, a ser encaminhada para a composição. Há uma retranca para o título, outra para o subtítulo, outra para o crédito (assinatura do repórter) e outra para o texto, cada uma com suas indicações de fonte (tipo de letra), corpo (tamanho da letra) etc. No caso do Enéas, eles esqueceu de colar a retranca do crédito, pois não "assinou a matéria".
2 - O Carlos me telefonou terça-feira, da Espanha. Foi uma baita surpresa. Ele está terminando o trabalho de doutorado e não lhe sobra tempo para outras atividades, como a agradável e indispensável participação em "nosso" blog. Logo mais ele entra em férias e vai compensar de uma vez toda a falta que nos fez.

Pé frio2 disse...

Pode continuar mandando para mim.As vezez falho,mas não desisto.
Só Para Agradar o Marco(S P A M ) ou sua versão tupiniquim:"Oba!Oba né Ma?".

Marco Antonio Zanfra disse...

Ufa! Pensei que seria obrigado a deserdar meu próprio irmão!

Ricardo Câmara disse...

Prezado Zanfra;
Antecipo-me a reserva nesse dinâmico blog. Podes enviar-me quantas mensagens, convidando-me a participar dos tópicos semanais. Sempre quando posso, envio o meu posicionamento, pois os assuntos aqui tratados precedem os que estampam na mídia posteriormente, sendo esta interatividade de opiniões a primeira a divulgar um acontecimento para os seus participantes, vide a questão dos 'containers' de lixo desembarcados no Porto de Santos, os quais se tornaram público após algumas semanas. Já no âmbito das “sortes”, principalmente no caso da mega-sena, ainda pairam dúvidas quanto aos sorteados, embora divulgado os ganhadores de uma certa região, os demais que se frustraram pela não contemplação não acreditam nessa modalidade do sorteio realizado pelo governo através da mídia. Só acredito no dia que eu ou alguém da família ou até mesmo pessoas conhecidas revelarem tal fado. Só relembrando aqueles afeito ao loto: aqui no Brasil, no tocante aos bilhetes de Loteria Federal, existe no verso do mesmo um campo para preenchimento do nome, endereço, telefone e RG, justamente para identificar o apostador o que lhe assegura a posse do prêmio, caso haja contemplação. Já na mega-sena, a própria CEF aconselha ao participante a se identificar com o NOME e CPF no verso da aposta. Portanto, estejam alertas para esses detalhes por questão de “segurança,” se algum dia, quando VÓS, por ventura, fordes um milionário anônimo.

Marco Antonio Zanfra disse...

Taí uma boa recomendação: se, entre centenas de milhões de cartões, você conseguir acertar a megassena, é bom não ter esquecido de preencher o verso do volante!

Luiz Andrade disse...

Marco, bom dia!

Em relação a nós, fique à vontade.
Um abraço!